domingo, 30 de agosto de 2020

Imagens de onde encontrar meu Pai

 

Já tive várias discussões com colegas ou amigos ao longo da vida, acerca de formas de pensar e agir.
Vejo as pessoas hoje dizendo: Marco Feliciano, você me representa, Pastor Silas Malafaia me representa, outros dizendo, o Presidente Bolsonoro me representa e assim vai. Aí, comecei a procurar o que essas pessoas fazem de bom que possam representar outras pessoas?
Comecei a pensar sobre isso pela manhã e já são 22 horas e não consegui encontrar o que elas fazem de bom e muito menos de excepcional que possam servir de exemplos. Digo isso, “servir de exemplos” porque hoje, tive a certeza que nós, pais e mães somos os exemplos para os nossos filhos e os únicos que poderiam me representar, foram meus pais. Infelizmente hoje, nem minha mãe, nem meu pai pois foram embora desta vida, meu pai em 1.984 e minha mãe em 2.018 mas, deixaram seus legados e que sigo até hoje.
Vou dizer porquê!
Em decorrência de traumas de infância e adolescência, tive que frequentar Igrejas por obrigações impostas por uma mãe religiosa e, quando finalmente obtive a minha independência matriarcal, não encontrei na Igreja motivos para que me tornasse frequentador uma vez que, descobri que tenho um traço de carateres que não aceita ser manipulado. Fui criado na doutrina católica, me casei na Primeira Igreja Batista de Goiânia, mesmo a minha noiva sendo frequentadora da Igreja Cristã Evangélica. O casamento ocorreu na Batista porque o Pastor da igreja de minha noiva se negou a realizá-lo, eu não pertencia a sua Igreja e não era batizado pelos preceitos evangélicos que para sua existência, teve que existir a Católica. Mais um motivo para entender que para alguns pastores, o que interessa para o casamento é você ter dinheiro e acreditar no que eles pregam e não, no amor que você sente por quem você escolheu e foi escolhido para constituir uma família. Pois bem!
Dia 11 de julho de 2020, completamos 39 anos de casados. Um casamento que nos faz feliz e que foi construído com muito amor e dificuldades. Isso foi a base para a formação realmente de uma família de verdade. Um homem, uma mulher e quatro filhos. Não uma família obcecada e manipulada pelos dogmas religiosos que norteiam a grande maioria da população. Mas, uma família em que seus membros se amam, se respeitam, se admiram e acima de tudo, são amigos.
É muito gratificante para um pai, receber uma ligação de seu filho que mora quase 4 mil km de distância, e para humildemente pedir orientação ou, para agradecer a educação que lhe foi dada e demonstrar todo o amor que sente. Que não tem vergonha de dar um beijo em seu pai, sua mãe e dizer que os amam.
Um filho que, mesmo tímido e introspectivo, sabe demonstrar seu amor pelos seus pais e irmãos.
Um filho, que mesmo igualmente ao seu pai, que não suporta a rotina, era inconstante mas que encontrou seu objetivo de vida, assim como o amor dedicado aos seus pais, presente em seu semblante lindo e harmonioso, também é dedicado aos seus semelhantes.
Uma filha, linda, determinada, uma lutadora pelos seus ideais e que também não cansa de dizer que ama seus pais. 
Hoje, se tornaram cidadãos de bem e que foram formados por um casal que não frequenta nenhuma Igreja, mas que conseguiu colocar dentro de seus coraçõeszinhos  aquilo que Deus os ensinou, pois são espiritualizados sem rótulos religiosos.
O nosso Deus, meu e de Baruch Spinoza, nos disse:
“Pare de ficar orando ou rezando e batendo no peito para mexer com seus irmãos!”
O que Eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida. Eu quero que gozes a vida, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que Eu fiz para ti.
Pare de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que construíram com seu dinheiro dizendo que fui eu que criei o dízimo e que acreditas ser a minha casa.
Minha casa é simbolizada pelas montanhas, pelos bosques, rios, lagos, praias, enfim, na natureza e no espaço. Aí é onde Eu vivo e aí, expresso meu amor por ti. Você não precisa de intermediários para conversar comigo, afinal, você é meu filho. 
Pare de me culpar se tua vida está ruim. Eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que és um pecador, ou que tua sexualidade fosse algo mau, feio e pecaminoso. O sexo é um presente que Eu te dei para que desfrutaste do que há de melhor e com o qual podes expressar teu amor, teu êxtase, tua alegria. Assim, não me culpes por tudo o que te fizeram crer, tentando te castrar e dizer que você não pode desfrutar do sexo por prazer e sim, somente para procriar. Isso é história de teológos que foram frustrados e tinham horror ao prazer. Eram celibatários por obrigações incutidas em suas cabeças na idade média e que continua até os dias de hoje, pois só assim sobre uma desculpa de evangelizar, escravisam tua mente de acordo com os interesses financeiros.
Pare de ficar lendo supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo. Elas foram escritas pelos homens de acordo com suas convicções e pretextos para te manipulares. Se não podes me ler num amanhecer ou num entardecer, como essas fotos feitas por você, me veja também numa paisagem, no olhar de teus amigos, nos olhos de teus filhinhos, não me encontrarás em nenhum livro!




Confia em mim e deixe de me pedir coisas simples pois as mais complexas eu já cuido pra você.
Pare de ter tanto medo de mim. Eu não te julgo, nem te critico, nem me irrito, nem te incomodo, nem te castigo. Eu sou puro amor.
Pare de me pedir perdão. Não há nada a perdoar. Se Eu te fiz, eu te enchi de paixões, de limitações, de sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre arbítrio. Como posso te culpar se respondes a algo que eu pus em ti?
Como posso te castigar por seres como és, se Eu sou quem te fez? Acreditas que eu poderia criar um lugar para queimar meus filhos que não se comportem bem, pelo resto da eternidade? Pense, que tipo de Pai pode fazer isso com seus filhos?
Esqueça qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei em meu nome. Isso são artimanhas para te manipular, para te controlar como um cordeiro, que só geram culpas em ti.
O melhor a fazer é, respeite e ame o teu próximo e não faças a eles, o que não queiras para ti. "A única coisa que te peço é que, prestes atenção a tua vida, que teu estado de alerta seja teu guia.”
Eu estou e sempre estarei contigo, meu filho!

Jodenon 
    Quem foi Benedictus Baruch Spinoza - filósofo holandês 1632-1677 
    Baruch (Benedictus, em latim) Espinosa era de família judia de origem portuguesa. Seu pai era um comerciante abastado. Criado dentro do judaísmo, Baruch estudou a Bíblia e o Talmude, o livro dos ensinamentos rabínicos.
    Entre os anos de 1654 e 1656, dirigiu os negócios de sua família, mas, em junho desse ano, foi acusado de heresia e excomungado, tendo de abandonar a comunidade judaica. Mudou-se, então, para Leyden e depois para Haia, onde passou a viver de seu trabalho como polidor de lentes.
    Ref. Pesquisas - Eunuco pelo reino de Deus - Mulheres, Sexualidade e Igreja Católica - Uta Rank - Cristo uma crise na vida de Deus - Jack Miles. - Jesus O maior Psicólogo que já existiu - Mark W. Baker.

quinta-feira, 18 de junho de 2020

Entrevista para o programa 100 dias na abundância do movimento @vidadefreesider




Entrevista para o programa 100 dias na abundância do movimento @vidadefreesider
1 - Olho no espelho e vejo meu corpo, minha pele, meu olhar, as rugas e meus cabelos brancos. O que eu vejo?
R: Meu corpo ficando flácido e frágil, minha pele já caminhando para o cansaço dos anos, meu olhar demonstrando uma história de vida cheia de vivacidade e amor sem arrependimento do que fiz na vida. Minhas rugas, demonstram um prêmio pela forma como levei minha vida, com sabedoria e sem maltratar meu corpo. Meus cabelos brancos já são maioria e seus irmãos pretos, já não conseguem resistir ao tempo e se entregam às quedas e a mudança com ausência de luz para ausência de cor.
2 - O que faço hoje com as minhas experiências de anos e anos de vida?
R: Uma pessoa com uma boa sabedoria de relacionamentos em várias instâncias, uma vasta experiência profissional, sem amigos e poucos colegas.
Com a minha experiência de vida, aprendi que casei por amor e por amor tenho uma família de filhos fantásticos, gerados por uma mulher também fantástica e que dia a dia, procura cuidar de mim, com muito amor e dedicação, sem esquecer dos filhos. Encontrei minha primeira paixão na família e a segunda, na hipnose. Aprendi a ser grato todos os dias e a respeitar as pessoas sem distinção de cor, etnia, credo, gênero e opção sexual.
3 - Essa minha postura corporal, o que me diz? Eu gosto do que vejo?
R: Um pouco de cansaço pelo tempo, no entanto, lutando para manter minha saúde em bom estado através das minhas caminhadas diárias.
Não gosto do que vejo, pois nunca me senti um príncipe apesar do sucesso com as mulheres que sempre tive.
4 - Eu me sinto em paz com o que vejo? Com meus pensamentos?
R: Sim. Nasci com o que tenho e me vejo com um corpo magro e saudável. Meus pensamentos não descansam um só minuto e me faz bem viajar com eles. Aprendi que para dar uma folga aos meus pensamentos, uso o mantra de cura do Ho'oponopono repetindo sem parar: "Eu sinto muito... Me perdoe... Sou grato... Eu te amo!".
5 - Me sinto orgulhoso com as conquistas, com tudo o que alcancei?
R: Cheguei em um patamar tranquilo que me deixa viver sem dificuldades e fazendo o que faço. Alcancei o que me dispus alcançar e cumpri com dificuldades minhas promessas de criar uma família linda e respeitosa em todos os sentidos.
6 - O que eu ainda posso alcançar?
R: Ressignificar muitas pessoas, transformando suas vidas para melhor, por isso investi em um curso de análise corporal para ajudar mais ainda com a hipnoterapia e assim ficar realizado pelo bem que  já fiz para muitas pessoas e ainda farei pós pandemia.
7 - Ainda me sinto preso no passado, ou fico esperando o futuro?
R: Algumas noias que ainda não consegui resolver, no entanto até o final do ano conseguirei apagar as noias do passado que não me deixam ser melhor do que sou.
8 - As frustrações, o que tenho feito para saná-las?
R: Frustrações passadas, são frustrações passadas. Não compensa remoê-las, apenas ressignificá-las até o final do ano.
9 - As expectativas não atendidas, como fazer para que sejam atendidas agora?
R: 90% das minhas expectativas foram atendidas e não pretendo correr atrás do que passou.
10 - A vida existe dentro de mim, a felicidade, tenho que encontra-la primeiro dentro de mim, a dor que existe dentro de mim, tenho como livrar-me dela?
R: Tudo existe dentro de mim, inclusive meu Deus que é totalmente diferente do Deus das religiões, das seitas, dos índios e outros.
As dores, existem dentro de mim e tenho como me livrar delas, só que estou fazendo do meu jeito e pretendo acabar com elas até o final do ano.
11 - Ela deve continuar fazendo parte do meu conteúdo?
R: Não. Eventualmente poderão entrar outras, mas farei que saiam imediatamente.
12- Quais são as dores que sinto e quais as emoções que as causaram?
R: Como tenho um traço dominante que não gosta de se expor, pretendo deixar apenas comigo mesmo, pois, estou estudando para descobrir as emoções que as causaram.
13 - São fatos recentes ou no passado?
R: Só do passado e acredito que sejam todas ocorridas na minha infância e adolescência.
14- Qual é a carga emocional que eu tenho colocado em minhas costas e que não consigo resolver?
R: Nenhuma. Deixei de carregar há muito tempo. O que faço hoje é por amor, então considero uma carga suave e que não me causa dor.
15 - O que me impede de tomar a decisão de deixar para trás toda essa bagagem?
R: O Amor incondicional que carrego no peito.
16 - Se eu não conseguir, limpar tudo isso, o que posso fazer para adoçar o restante da minha vida e ser feliz?
R: Não trabalho com o pensamento negativo de fracasso. Tudo que quero, eu faço e consigo ser plenamente realizado.
Jodenon Borges de Sousa - Hipnoterapeuta Clínico
[21:55:47]


domingo, 3 de maio de 2020

Estou de Quarentena desde Janeiro de 2020


O que é a quarentena?

Deuteronômio 8.2 “Recordar-te-ás de todo o caminho pelo qual o SENHOR, teu Deus, te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, para te provar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias ou não os seus mandamentos. ”
Quando falamos de quarentena, logo lembramos da caminhada do povo de Israel no deserto em seu êxodo para a Terra Prometida. Mas a partir deste exemplo clássico, outros fatos marcaram a história bíblica com o símbolo do número quarenta que passou a ter um significado muito importante. Com o tempo, a expressão quarentena passou a ser usada para quando a pessoa precisa ficar em repouso e cuidado, o que destaca a importância deste tempo.

Nas palavras do texto de Deuteronômio 8.2 (acima) podemos entender quatro significados para a quarentena:
1- Humilhação: ”para te humilhar”
2- Provação: “para te provar”
3- Transição: “para saber o que estava no teu coração”
4- Experiência: “se guardarias ou não os seus mandamentos”
Baseados nestes quatro possíveis sentidos para a quarentena, a partir do exemplo do êxodo, podemos ver outros fatos bíblicos relacionados ao número quarenta que nos trazem estas lições.

O que significa quarentena na Bíblia?

Vamos refletir sobre exemplos bíblicos de quarentena:

1- Quarentena de HUMILHAÇÃO

O primeiro sentido que o texto de Deuteronômio 8.2 nos dá para a quarentena é um tempo de humilhação, dizendo que “Deus, te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar”. Enfrentar uma humilhação é algo muito difícil, quanto mais por quarenta vezes. Este é um teste de resistência para um novo tempo por vir.
Três exemplos de humilhação relacionados à quarentena:

a) Quarentena de humilhação no Dilúvio

Gênesis 7.17 “Durou o dilúvio quarenta dias sobre a terra; cresceram as águas e levantaram a arca de sobre a terra. ”
O dilúvio foi uma grande chuva de quarenta dias e noites (Gênesis 7.4 e 12). Somente depois de quarenta dias de chuva intensa que Noé abriu a janela da arca (Gênesis 8.6). Aquele foi um tempo de humilhação para a humanidade, tendo que passar por um recomeço totalmente. Noé suportou toda a dificuldade daquele momento e venceu com sua família (I Pedro 3.20). Durante este tempo a vida de Noé e sua família viram a humanidade ser humilhada e temeram a Deus.

b) Quarentena de humilhação através do gigante Golias

I Samuel 17.16 “Chegava-se, pois, o filisteu pela manhã e à tarde; e apresentou-se por quarenta dias. ”
Quando o gigante Golias afrontou o povo de Israel, o fez pelo período de quarenta dias, sempre insultando a fé e o Deus de Israel. Este tempo teve um significado muito forte para o povo que tinha caminhado quarenta anos no deserto, o que parecia ser uma forma de afrontá-los dizendo que tinha lutado em vão. Mas o pequeno Davi foi levantado por Deus para derrogar o gigante em nome do Senhor (I Samuel 17.45-50).

c) Quarentena de humilhação na vida do apóstolo Paulo

II Coríntios 11.24 “Cinco vezes recebi dos judeus uma quarentena de açoites menos um”
O apóstolo Paulo testemunha que passou pela humilhação pública por cinco vezes sendo condenado a ser açoitado. Naquele tempo era comum usar chicotes que feriam gravemente, então era posto um limite de quarenta chibatadas (Deuteronômio 25.3), por isso Paulo disse que recebeu a mesma pena cinco vezes faltando apenas uma chicotada para o máximo. Não deixavam chegar ao limite para que pudessem repetir a mesma penalidade. Paulo aprendeu: “tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias...” (Filipenses 4.12). Estas cinco quarentenas de açoites que Paulo sofreu foram motivo de grande humilhação para ele, mas sabia que Deus o exaltaria.

A quarentena é um tempo de se HUMILHAR diante do Senhor!

2- Quarentena de PROVAÇÃO

O texto de Deuteronômio 8.2 nos dá outra razão para a quarentena: “para te provar”, que é a provação. A prova é um teste, um tempo em que passamos por dificuldades que na verdade são para nos testar se estamos preparados para o que desejamos.
Três exemplos de provação relacionados à quarentena:

a) Quarentena de provação na vida de Moisés

Atos 7.23 “Quando completou quarenta anos, veio-lhe a ideia de visitar seus irmãos, os filhos de Israel. ”
Atos 7.30 “Decorridos quarenta anos, apareceu-lhe, no deserto do monte Sinai, um anjo, por entre as chamas de uma sarça que ardia.
Atos 7.36 “Este os tirou, fazendo prodígios e sinais na terra do Egito, assim como no mar Vermelho e no deserto, durante quarenta anos. ”
Estêvão antes de morrer narra em sua pregação que a vida de Moisés foi dividida em três períodos de quarenta anos, pois “tinha Moisés a idade de cento e vinte anos quando morreu” (Deuteronômio 34.7). Moisés viveu seus primeiros quarenta anos como príncipe do Egito, sendo criado pela filha do Faraó. Quando completou quarenta anos foi em busca de seu povo, os judeus (Atos 7.23). Como precisou fugir, passou a viver quarenta anos no deserto até que Deus lhe apareceu na sarça do Sinai (Atos 7.30). A partir de então, com oitenta anos foi conduzir o povo de Israel para sair do Egito e com eles caminhou quarenta anos no deserto (Atos 7.36). Moisés foi pessoalmente provado em três fases de quarenta anos de sua vida: no palácio, no deserto e no êxodo.

b) Quarentena de provação no Êxodo

Números 32.13 “Pelo que se acendeu a ira do SENHOR contra Israel, e fê-los andar errantes pelo deserto quarenta anos, até que se consumiu toda a geração que procedera mal perante o SENHOR”
O povo de Israel caminhou quarenta anos no deserto antes de chegar à terra prometida devido à sua desobediência precisaram ser provados antes de receber a promessa (Josué 5.6). Os espias passaram quarenta dias espiando a terra prometida (Números 13.25), mas a maioria deles voltou murmurando, o que aborreceu muito a Deus, por isso o Senhor os fez ser provados por quarenta anos no deserto (Números 14.33,34). Durante todo este tempo o Senhor cuidou de seu povo não deixando faltar alimento (Deuteronômio 2.7), enviando diariamente o maná (Êxodo 16.35), não deixando que seus pés inchassem (Deuteronômio 8.4) e nem que suas vestes ou calçados se gastassem (Deuteronômio 29.5). Esta quarentena de anos foi tempo de provação foi muito importante para que o povo de Israel fosse provado, se estavam prontos para receber a promessa de Deus.

c) Quarentena de provação na vida de Elias

I Reis 19.8 “Levantou-se, pois, comeu e bebeu; e, com a força daquela comida, caminhou quarenta dias e quarenta noites até Horebe, o monte de Deus. ”
O profeta Elias derrotou os falsos profetas de Baal (I Reis 18.20-40) e em seguida foi ameaçado pela terrível rainha Jezabel (I Reis 19.1,2). O grande profeta Elias teve medo daquela mulher e fugiu para o monte Horebe para buscar a Deus e se proteger. No meio da caminhada estava exausto e desabafou com Deus, então o Senhor providenciou para Elias pão quente e água fresca para se alimentar e continuar sua caminhada de quarenta dias até o monte Horebe (I Reis 19.3-7). Aquele foi um tempo de provação para um homem usado pelo poder de Deus. Havia alcançado muitas vitórias, mas agora ele pessoalmente estava sendo provado. Quando estava no monte, Deus se revelou a ele de forma surpreendente dentro de uma caverna (I Reis 19.9-14) e lhe fortaleceu para continuar seu ministério (I Reis 19.15-18).

A quarentena é um tempo de PROVAÇÃO para aprender a obedecer!

3- Quarentena de TRANSIÇÃO

O texto de Deuteronômio 8.2 continua mostrando mais uma razão para a quarentena: “para saber o que estava no teu coração”, o que indica uma fase de transição, onde além de sermos humilhados e provados, também precisamos ser transformados para o propósito de Deus. Transição é transformação: enquanto passamos por uma transição nossa vida é transformada. Isso nos dá a tranquilidade de que a quarentena é passageira, mas que algo precisa mudar em nós durante este tempo. Deus disse para seu povo que queria revelar o que estava em seu coração, o que realmente acontece nestas fases difíceis da vida.
Três exemplos de transição relacionados à quarentena:

a) Quarentena de transição no tempo dos Juízes

Juízes 3.11 “Então, a terra ficou em paz durante quarenta anos. Otoniel, filho de Quenaz, faleceu. ”
Juízes 5.31 “Assim, ó SENHOR, pereçam todos os teus inimigos! Porém os que te amam brilham como o sol quando se levanta no seu esplendor. E a terra ficou em paz quarenta anos. ”
Juízes 8.28 “Assim, foram abatidos os midianitas diante dos filhos de Israel e nunca mais levantaram a cabeça; e ficou a terra em paz durante quarenta anos nos dias de Gideão. ”
Juízes 13.1 “Tendo os filhos de Israel tornado a fazer o que era mau perante o SENHOR, este os entregou nas mãos dos filisteus por quarenta anos. ”
O período dos Juízes foi marcado por algumas fases de quarenta em quarenta anos. Especificamente, quando se levantava um bom juiz, temente a Deus, como Otoniel (Juízes 3.11), Débora (Juízes 5.31) e Gideão (Juízes 8.28). Mas com a desobediência do povo, também passaram por um período de quarenta anos sendo oprimidos pelos filisteus (Juízes 13.1). O sacerdote Eli também julgou o povo por quarenta anos, mas não foi totalmente fiel ao Senhor (I Samuel 4.18).

b) Quarentena de transição no tempo dos Reis

1 Reis 2.11 “Foi o tempo que Davi reinou sobre Israel quarenta anos: sete anos em Hebrom e em Jerusalém trinta e três. ”
1 Reis 11.42 “Foi de quarenta anos o tempo que reinou Salomão em Jerusalém sobre todo o Israel. ”
Depois do período dos juízes, o tempo dos reis também foi marcado por fases de quarenta anos. Primeiramente uma experiência negativa com Saul que durou pouco mais de quarenta anos (42 anos segundo a versão NVI em I Samuel 13.1). Então o reinado dos dois maiores reis que Israel Já teve que foram Davi e seu filho Salomão, duraram quarenta anos cada um. A estabilidade da monarquia precisou passar por reinados sólidos de quanta anos cada. Depois de um período de grande recessão e pecado, Deus levantou o rei Joás ainda muito jovem para fazer uma reforma em Israel e reinou quarenta anos até que abandonou o Senhor (II Crônicas 24.1). Estes períodos marcaram a estabilidade e transição para a monarquia em Israel.

c) Quarentena de transição na vida de Jó

Jó 42.16 “Depois disto, viveu Jó cento e quarenta anos; e viu a seus filhos e aos filhos de seus filhos, até à quarta geração. ”
A vida de Jó foi marcada por grandes lutas, mas após o período de provações que enfrentou, Deus lhe deu uma nova oportunidade de vida quando o Senhor lhe restaurou a família e tudo o que perdeu. Jó passou por uma transição em sua vida pessoal e familiar para um novo tempo de bênçãos por mais quarenta anos. Essa transição foi muito importante para vencer todas as lutas que viveu antes.

A quarentena é um tempo de TRANSIÇÃO para uma nova fase da vida!

4- Quarentena de EXPERIÊNCIA

O texto de Deuteronômio 8.2 ainda mostra uma quarta razão para a quarentena: “se guardarias ou não os seus mandamentos”, o que entendemos ser um período de experiência. Além de passarmos por tempos de humilhação, de provação e transição, também passamos por experiências de vida que são para nos edificar. Em cada momento de nossas vidas podemos ter experiências com Deus.

Três exemplos de experiência relacionados à quarentena:

a) Quarentena de experiência na vida de Moisés

Êxodo 24.18 “E Moisés, entrando pelo meio da nuvem, subiu ao monte; e lá permaneceu quarenta dias e quarenta noites. ”
Êxodo 34.28 “E, ali, esteve com o SENHOR quarenta dias e quarenta noites; não comeu pão, nem bebeu água; e escreveu nas tábuas as palavras da aliança, as dez palavras. ”
Duas vezes Moisés passou pela experiência sobrenatural com Deus quando o Senhor lhe deu as tábuas da lei no monte Sinai. Durante estes dois períodos de quarenta dias Moisés ficou em jejum diante do Senhor (Deuteronômio 9.9-18), intercedendo pelo povo de Israel que havia pecado contra o Senhor (Deuteronômio 10.10). Esta experiência foi tão forte na vida de Moisés, que quando desceu do monte, o seu rosto resplandecia da glória de Deus sobre sua vida (Êxodo 34.29-25).

b) Quarentena de experiência na vida de Jesus

Mateus 4.1,2 “A seguir, foi Jesus levado pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo. E, depois de jejuar quarenta dias e quarenta noites, teve fome. ”
Antes de iniciar seu ministério terreno, Jesus passou um período de jejum diante do Senhor “onde permaneceu quarenta dias, sendo tentado por Satanás; estava com as feras, mas os anjos o serviam” (Marcos 1.13). Jesus sabia que depois deste tempo seria exaltado com poder de Deus (Lucas 14.11). Esta experiência marcou o início do ministério profético de Jesus.

c) Quarentena de experiência depois da ressurreição de Jesus

Atos 1.3 “A estes também, depois de ter padecido, se apresentou vivo, com muitas provas incontestáveis, aparecendo-lhes durante quarenta dias e falando das coisas concernentes ao reino de Deus. ”
Quando Jesus ressuscitou passou um período de quarenta dias em que apareceu diversas vezes para seus discípulos. Lucas faz questão de frisar que Jesus mostrou diversas vezes que havia ressuscitado. Este período em que Cristo passou entre sua ressurreição e ascensão foi para que seus discípulos tivessem sua experiência pessoal e entenderem a vontade de Deus através da ressurreição de Jesus e o envio do Espírito Santo sobre a Igreja (Atos 2.1-4).

Durante estes quarenta dias Jesus apareceu para:
- Maria Madalena (João 20.16-17);
- Várias mulheres: Maria Madalena, Salomé e Maria, mãe de Tiago (Mateus 28.8-10);
- Dois discípulos na estrada para Emaús (Lucas 24.13-43);
- No cenáculo aos discípulos, sem Tomé (João 20.19-22) e depois com Tomé (João 20.26-29);
- A sete discípulos: Pedro; Tomé, Natanael, os filhos de Zebedeu; e dois outros discípulos (João 21.1-2);
- Mais de 500 discípulos, com Tiago e os Apóstolos (1 Coríntios 15.5-7);
- Na ascensão (Lucas 24.50-53 e Atos 1.6-9).
A quarentena é um tempo de EXPERIÊNCIA e aprendizado!

A quarentena ensina sobre o tempo de Deus!

CONCLUSÃO

A quarentena é um tempo de HUMILHAÇÃO, quando aprendemos sobre nossas limitações humanas, um tempo de PROVAÇÃO, quando somos testados em nossa fidelidade ao Senhor, um tempo de TRANSIÇÃO para um novo tempo em nossas vidas e um tempo de EXPERIÊNCIA para entender a vontade de Deus.

A quarentena é um tempo passageiro!