quarta-feira, 21 de maio de 2008

O pedido de casamento…


Eu fugi do objetivo do blog em dois momentos, por dois motivos.
O primeiro para prestar uma justa homenagem ao ser vital para a perpetuação da espécie, que é à MÃE de qualquer ser.
O segundo, foi mais um desabafo com os humanos.
Mas, agora, vamos ao que interessa mesmo neste blog e que nesta sequencia, falarei sobre o pedido de casamento.
Decidimos ficar noivos em dezembro, precisamente dia 06, não sei porque mas foi nesse dia. Então teria a parte mais crucial pertencente ao homem, que é fazer o pedido aos pais da pretendente. Êta horinha cruel!
Acertado todos os detalhes entre nós, eu e ela é claro! Escolhemos um domingo no horário do Fantástico, pois nada mais difícil, bem como também fantástico esse momento.
Chegou o esperado dia! Namoramos um pouco na sala, enquanto os velhos assistiam TV num quartinho que tinha nos fundos da casa. Levantamos e falamos, vamos ao sacrifício? Tomei uns dois goles bem fortes de Coca-cola e fomos.
Chegamos no bendito quartinho e ela falou: “Papai, mamãe, queremos falar com vocês!”.
Meu sogro então espigou o seu quase imperceptível pequeno pescoço nordestino, esticou-se e nos olharam, ele e minha sogra.
Eu tomei coragem e disse: fiquei sabendo que o senhor queria me chegar no canto! (Linguajar goiano para uma catracada, ou CR)
Ele respondeu assustado: “Eu? Não! Nunca disse isso caboclo!
Ai, foi a minha vez: Pois eu quero chegar vocês no canto.
Olharam-nos assustados e acabei com o suspense dizendo: Eu e a Nélis queremos casar e constituir uma família e gostariamos de ter a benção de vocês.
Ele quase engoliu a dentadura e depois de recuperar o fôlego, falou: “Se é o que vocês querem, tem a nossa benção!.
Saimos dali e voltamos pra sala. Sentei imediatamente, pois minhas pernas estavam parecendo vara verde! Numa tremedeira que se minha mãe visse, choraria de dó do filho dela.
Acham que paguei esse mico sozinho? Hehehehehe...Não me conhecem!
Falei com a minha então oficialmente quase noiva, que só casaria se ela fosse em minha casa, pedir aos meus pais, minha mão e todo o conjunto. Como ela era a principal interessada no meu dote e lógico em mim, não pensou duas vezes e foi lá falar com meus pais. No que concordaram imediatamente e é hoje a nora mais adorada pela minha mãe (que as outras não leiam o que escrevi).

3 comentários:

Nélis Neide disse...

É realmente um momento especial e único na vida do ser humano e vai ficar gravado em nossas memórias por toda a nossa eternidade como um dos melhores momentos de nossas vidas a dois.

Amei o jeito de você narrar essa passagem bem do jeito original me fez rever como se fosse agora.
Beijos.

Elida disse...

Que lindo!! Muito mais do que um casal, você são almas que se encontraram de verdade! Olha que isto no meu ponto de vista, é uma verdadeira benção!
Parabéns!!
Beijo grande e obrigada pela visita ao meu cantinho e ao carinho no comentário feito!
Elida (Li)

Carmim disse...

Fiz uma pausa, deletei os blogs e voltei com novo endereço.
Espero por ti. =)

Um beijo.