terça-feira, 27 de maio de 2008

Ainda o noivado!


Escrever um blog eu comparo como um jogo de futebol. No jogo, se não tem gol, não tem graça. No blog é do mesmo jeito, se não tem comentários dos visitantes, não tem graça. Não atingimos nosso objetivo que é entusiasmar o leitor, para que, ele por livre iniciativa exponha seus sentimentos com aquilo que tentamos passar e que ele acabou de ler.
Mas vamos mesmo ao que interessa.
Depois do noivado, criou-se muitas expectativas no casal em função do tempo que tinhamos para a realização de nosso sonhado casamento. Teve gente que achou que ela já estava grávida, principalmente os crentes da família. No noivado já marcamos a data, 11 de julho do ano seguinte ao noivado.
Começamos a mobiliar nossa casinha. Todos os detalhes em verde combinando com os móveis em cerejeira.
Tinhamos uma casinha com dois quartos, uma sala, cozinha, banheiro e um enorme quintal com um pé de ciriguela, é isso mesmo, se escreve com “C”. Toda fechada com muro de 2 metros de altura. Não era uma prisão, mas tínhamos privacidade. Podíamos até andar pelados, sem problemas.
Nesse período, fazendo negócios paralelos ao meu trabalho, vendi e comprei 22 veículos, foi o que nos ajudou a comprar todos os móveis e ter um dinheirinho para a Lua-de-mel. Fiquei, como diz em Goiás, na merda (sem dinheiro) e com um fusca velho que meu padrinho me vendeu. Não deu nem para viajar nele, foi um casal de tios dela que emprestou um outro fusca azul, não foi o fuscão preto, para irmos até Caldas Novas. Quem tem um padrinho igual eu tenho não precisa de inimigos.
No dia 08 de março completamos um ano de namoro e já estávamos noivos. Êta pressa para conhecer cada centímetro do desconhecido. Também! Estava matando cachorro no grito...

3 comentários:

Nélis Neide disse...

Tempinho bom esse, planejar cada detalhe da nossa casa, cada cantinho, cada nóvel, tudo do jeitinho que a gente queria, não foi bem do jeito que sonhávamos, mas foi o que podíamos na época. Ficou linda nossa casinha... um sonho... E foi lá que conhecemos cada centimetro do desconhecido...Que saudade...
Beijos!!

Chrystian disse...

Esse negócio de ficar matando cachorro a grito não é muito legal.
hehehehe
Quanto ao meu blog, pensei que você já soubesse, pois me lembro de te falar da existência dele quando você me passou o seu netlog. Até estava me achando sem importância, porque meu pai nunca tinha entrado no meu blog... e nem nos seus favoritos ele estava. Mas agora está tudo resolvido.
beijos.
te amo.

Elida disse...

Realmente você tem razão quando fala sobre os "comentários" em Blog. É mesmo frustrante quando não temos nenhum comentário, né? Mas faz parte!
Agora que eu adoro vir aqui... isso você pode ter certeza, afinal, você está nos contando uma linda história de amor!! E o que é melhor... é uma história REAL!
Beijo grande e parabéns por este amor que você nos brinda a casda texto!
Beijos
Elida