quarta-feira, 30 de abril de 2008

A semana seguinte...

Pois bem, convite feito, convite aceito, era esperar o sábado seguinte para concretizar meu projeto de mais uma conquista. Só que tive um probleminha, esqueci que tinha convidado-a para ir à festa e convidei uma outra para ir comigo e uma terceira opção para me encontrar em Anápolis. Quando foi no sábado pela manhã, ela me liga dizendo que tinha voltado para Goiânia para passar o final de semana e que não estava afim de ir na festa. Joguei minha lábia e ela acabou aceitando ir comigo. Trato feito, passei em sua casa por volta das 20h., ela já estava me esperando, então peguei um casal amigo para ir conosco. Passei na casa da outra que eu tinha convidado e sabia que ela tinha uma quedinha por mim e ela foi também. Era tiro pra todo lado, a antipatia entre ambas foi notória e eu me sentindo o rei da cocada. A minha salvação com a outro que já estava na festa me esperando, foi que o irmão dela foi e ela ficou com medo dele e não foi possível ficarmos juntos. Que alívio senti naquele momento.
Dançamos, conversamos e saimos para comer alguma coisa. Ela estava encantada com meu papo. Vendo que a situação estava favorável, joguei a seguinte cantada:
- O que seu pai acharia de namorarmos?
- Ela, acharia ótimo, pois ele é seu maior fã.
- E sua mãe?
- Também, uma vez que todo mundo é seu fã lá em casa.
- E o seu irmão que é muito ciumento?
- Ele não apita nada na minha vida.
- Mas e você o que acharia?
- Maravilhoso!
Resultado! 28 anos de convivência.
Bom, apartir daquele momento, começamos a namorar. Ela foi dar a notícia aos nossos amigos e como mulher não perde a oportunidade de dar uma alfinetada na concorrente, fez questão dela mesma dizer que estávamos namorando. Mudei meu foco naquela hora, pois a outra que tinha ido comigo, começou a chorar e tivemos que ir embora da festa…

2 comentários:

Anônimo disse...

Não foi bem assim, a outra que ele passou pra pegar depois que me pegou era caidaça por ele, e foi logo me pondo para o banco de trás pq é claro ela deveria ir no banco da frente e eu fiquei revoltada. Passei pra trás caladinha, fomos pra festa todos conversando animados ela toda oferecida pra ele e eu na minha pensando ela me paga. Na volta da viagem foi a minha vez fiz questão de mostrar o banco de traz para ela e vir deitada no colo dele para mostrar que dali pra frente a poderosa seria eu e até hj cotínuo sendo. E ela sabe disse.
Você continua sendo aquele namorado surpreendente de sempre, admirável e carinhoso.

nelis disse...

Por um descuido o primeiro comentário foi meu e saiu como anônimo, pois eu sou a alma dupla desse homem maravilhoso.